O cérebro deste Monge Budista é 8 anos mais jovem do que o seu corpo

0e97f0ef6c6b09bd0c57f7e7aede182a-783x450

Durante 14 anos, uma equipa de cientistas do Centro de Mentes Saudáveis da Universidade de Winsconsin-Madison seguiu o desenvolvimento cerebral de Yongey Mingyur Rinpoche, um monge budista e professor de meditação.

De acordo com o LiveScience, o estudo revelou que o cérebro de Mingyur Rinpoche pareceu desacelerar no seu envelhecimento ao longo de uma década.

Mingyur Rinpoche tem 41 anos, mas a sua matéria cerebral parece ser oito anos mais nova do que deveria ser.

“A grande descoberta é que o cérebro deste monge tibetano, que passou mais de 60 mil horas da sua vida em meditação formal, envelhece mais lentamente do que o cérebro do grupo de controlo”, disse Richard Davidson, investigador sénior do estudo e professor de psicologia e psiquiatria na universidade.

Para saber a idade de uma cérebro, basta olhar para a massa cinzenta. “A massa cinzenta é a maquinaria neural do cérebro”, explicou Davidson, que também é o fundador e diretor do Centro de Mentes Saudáveis. “Quando o cérebro atrofia, há um declínio na substância cinzenta”.

O estudo, que foi publicado em fevereiro passado na revista científica Neurocase, examinou as mudanças no cérebro de Mingyur Rinpoche ao longo de 10 anos, desde que o monge tinha 27 anos.

Mingyur Rinpoche era o sujeito perfeito para testar os efeitos a longo prazo da meditação no cérebro humano por causa da sua vida notável. Acreditando ser a sétima encarnação de Yongey Mingyur Rinpoche, mestre das linhagens Karma Kagyu e Nyingma do budismo tibetano, Mingyur Rinpoche guia outros praticantes budistas séniores nos métodos da meditação budista desde a adolescência.

Como tal, o seu cérebro experimentou uma exposição rotineira intensa à meditação. Estudos anteriores sugeriram que existe uma conexão entre a meditação de rotina e a desaceleração do envelhecimento biológico. Esta descoberta parece acrescentar evidências a essa hipótese.

Os investigadores analisaram o cérebro de Mingyur Rinpoche quatro vezes usando ressonância magnética estrutural para ver as alterações do cérebro ao longo do tempo. Depois, os cientistas estimaram a idade do cérebro através da massa cinzenta. Quando examinaram o cérebro de Mingyur Rinpoche aos 41 anos, o cérebro parecia pertencer a um homem de 33 anos.

Além disso, a análise revelou que o cérebro do guru da meditação também“amadureceu” cedo. Os investigadores ainda estão a tentar descobrir o que significa “amadurecer”, mas têm uma teoria.

Ainda existem muitas possibilidades que poderiam explicar o cérebro “jovem” de Mingyur Rinpoche. Por um lado, os cientistas ainda não determinaram definitivamente se foi apenas a sua prática de meditação que fez com que o seu cérebro envelhecesse mais devagar.

Alguns investigadores pensam que é possível que os cérebros daqueles que nascem nas altas altitudes do Tibete, como Mingyur Rinpoche, possam naturalmente envelhecer mais devagar devido ao ambiente.

“A grande descoberta é que o cérebro deste monge tibetano, que passou mais de 60 mil horas da sua vida em meditação formal, envelhece mais lentamente do que o cérebro do grupo de controlo”, disse Richard Davidson, investigador sénior do estudo e professor de psicologia e psiquiatria na universidade.

Para saber a idade de uma cérebro, basta olhar para a massa cinzenta. “A massa cinzenta é a maquinaria neural do cérebro”, explicou Davidson, que também é o fundador e diretor do Centro de Mentes Saudáveis. “Quando o cérebro atrofia, há um declínio na substância cinzenta”.

Foto: Nicolas Häns / unsplash

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s