Estado da Mente | Dalai Lama

Se a nossa mente não for pacífica e domada, não importa quão maravilhosas sejam as circunstâncias externas, seremos sobrecarregados por medos, esperanças e medos. Com uma mente domada, desfrutaremos de riqueza ou pobreza, saúde ou doença; podemos até morrer felizes.

Dalai Lama

História de Angulimala | Thich Nhat Hanh

História de Angulimala contada por Thich Nhat Hanh no livro “Medo”.

“Há uma história sobre o tempo em que o Buda andava em viagem e Angulimala, um notório assassino em série, foi na sua direcção. Angulimala gritou para o Buda parar, mas o Buda continuou andando devagar e com calma. Angulimala alcançou Buda e exigiu saber por que ele não tinha parado. O Buda respondeu: “Angulimala, parei há muito tempo. És tu quem não parou.” Ele passou a explicar, “Eu parei de cometer actos que causam sofrimento a outros seres vivos. Todos os seres vivos querem viver. Todos temem a morte. Devemos cultivar um coração de compaixão e proteger as vidas de todos os seres.”

Assustado, Angulimala pediu para saber mais. No final da conversa, Angulimala, jurou nunca mais cometer actos violentos e decidiu tornar-se num monge.

”No livro o monge usa a história para mostrar a coragem. Eu sempre me recordo da primeira frase, “Eu parei, és tu quem ainda não parou”.

Já reparou que não paramos?

O Buda simplesmente parou e passou a viver naturalmente. Nós mudamos de religião, mudamos de filosofia de vida, de cidade, de país, de marido ou namorada, mas nós não paramos.

Parece que após uma aparente mudança nós voltamos a seguir certos padrões de comportamento.

Podemos mudar os comportamentos e as visões, mas mais difícil que mudar, é manter. É um esforço tremendo, mas ao mesmo tempo compensador.

Atrás do medo existe um desejo constante de ter certeza.

O medo e a ansiedade são os estados psicológicos dominantes da mente humana.

Detrás do medo está um desejo constante de ter certeza. Temos medo do desconhecido. O desejo da mente por confirmação está enraizado no nosso medo da impermanência.

O destemor é gerado quando podes apreciar a incerteza, quando tens fé na impossibilidade desses componentes interligados permanecerem estáticos e permanentes.

Irás te descobrir, na verdade, preparando-se para o pior e, ao mesmo tempo, permitindo o melhor.

Dzongsar Khyentse Rinpoche

Procura da Felicidade

Encontrar a felicidade não é algo planeado. Sucede quando menos esperamos. Quando todos os sinais nos dizem o contrário. A felicidade de forma verdadeira não se reflecte na posse de um objecto ou numa pessoa em si. Muito menos numa visão alegre da vida, onde tentamos construir a perfeição que não existe. Nem na reconstrução pessoal após momentos menos bons. É um estado muito próprio em si. É a alma ser tocada numa profundidade própria positiva sem ter o peso tóxico do que desconstroi o ser humano, como o ódio, a obsessão, a ganância e tudo mais. Ninguém consegue viver com esses defeitos e ser minimamente feliz. Porque a exposição interior a esses elementos provoca a corrosão acentuada do que somos. O primeiro passo para abraçar a liberdade é libertar desses pesos. Do peso de quem magoou, da ambição desmedida de superar todos por algo mais, no ódio exacerbado e num justificado. Mantenhamos uma planície de sentimentos ao invés de várias montanhas. Sejamos aquilo que queremos e podemos ser.

Meditação Tonglen: O que é? Como se pratica?

A meditação é uma das formas mais simples de atingir níveis elevados de espírito e de limparmos de energias menos positivas. É uma espécie de renovação da alma, além de um processo importante de conhecimento de si próprio e do mundo em seu redor. Já imaginou este benefício pudesse alcançar outras pessoas? A Meditação Tonglen torna isso possível.

Tonglen é uma prática de meditação ensinada pelo Dalai Lama e muito utilizada no Budismo Tibetano. O objectivo primordial é purificar a pessoa que pratica e as outras a quem ela se dedica positivamente. É como se os sentimentos menos bons, as dores físicas, traumas ou tristezas deixassem o nosso corpo ao mesmo tempo que a felicidade nos invade e nos envolve.

Siga os passos seguinte para praticá-la:

1- Como em qualquer processo de meditação, procure um lugar calmo e livre de interrupções, onde possa ligar-se consigo mesmo e deixar o mundo que nos rodeia de fora.

2- Utiliza o tempo que for necessário até acalmar a mente e atingir um estado de calmaria e serenidade dentro de si, como uma bolha de paz, escudada da interferência exterior.

3- Sinta-se integrado no ar. Puxe pelo nariz as sensações de calor, densidade, escuridão e peso e expire de certa forma a luz e a leveza. Sente que controlas todas essas sensações posteriormente para os teus poros. Sente o movimento de contracção e expansão de todo o seu corpo, na tua própria plenitude.

4- Se possuis alguma situação negativa que estejas vivenciando pessoalmente como uma dor física, uma sensação, um sentimento menos bom ou uma situação que não consegue resolver. Pensa em pessoas que conhecea e até outras desconhecidas que também possam estar passando por isso. Mentaliza profundamente todas estas questões.

5- Inspire para dentro de ti, toda a dor que vês na tua vida e no mundo como um todo e vibra e expire a felicidade mais intensa que conseguires imaginar, como os mais belos momentos da tua vida. (A energia do momento e não o contexto do mesmo).

Com estes cinco passos simples, irás consegue tentar fazer uma prática que beneficia o teu intimo e outras pessoas que penses. É um acto que também podemos fazer mentalizando as pessoas que nos fizeram mal ou simplesmente aquelas com as quais não nos identificamos de alguma forma. Pensar que o que fizeram é por alguma dor que sentem e tentar tirar isso delas, de certa forma, beneficia a todos.

Mingyur Rinpoche em Portugal

Uma conferência em Lisboa (dia 1 de Agosto, 19h, após ter passado por Leiria), um retiro fechado e uma cerimónia para quem queira iniciar-se na via do Buda serão os actos principais da estadia em Portugal de Yongey Mingyur Rinpoche, um dos mestres do budismo tibetano e autor de A Alegria de Viver (ed. Temas e Debates/Círculo de Leitores). 

Rimpoche (na realidade, um título tibetano que significa aproximadamente “precioso”, um mestre de espiritualidade) nasceu em 1975, em Nubri (Nepal) e é considerado um dos grandes mestres do budismo tibetano formados fora do Tibete. Desde há anos que tem manifestado muito interesse pela investigação científica acerca dos efeitos da meditação. “Houve pouco desacordo entre os Budistas e os cientistas modernos quanto ao facto de o estado de espírito de uma pessoa ter alguns efeitos sobre o corpo”, escreve ele, no livro citado (há uma outra obra de Rimpoche publicada em Portugal pela mesma editora, Amar o Mundo – A Viagem de um monge pelos bardos da vida e da morte, em que ele conta a sua experiência de quase “morte”, quando passou quatro anos num retiro errante, vivendo como mendigo).

Recentemente, há cientistas que começaram a “olhar mais de perto para a anatomia e fisionomia de seres humanos felizes e saudáveis”, diz Yongey Mingyur n’A Alegria de Viver. “Nestes últimos anos, vários projectos mostraram vínculos muito fortes entre estados mentais positivos e uma redução do risco ou da intensidade de diversas doenças físicas”, acrescenta, citando vários estudos nesse âmbito. 

“Explicações objectivas da eficácia da formação budista” também estão a ser estabelecidas por outros cientistas, escreve Rimpoche, que tem aliado a sua prática de meditação à investigação dos neurocientistas do Laboratório Waisman de Imagiologia Cerebral e Comportamento. A meditação, defende o monge budista, pode aumentar a actividade das zonas do cérebro que normalmente se associam à felicidade e à compaixão. 

A conferência de Lisboa, no auditório da Faculdade de Medicina Dentária, da Universidade de Lisboa, será uma introdução ao Budismo Vajrayana, com o título “Tu és Buda agora mesmo”.

No sábado (19h-22h), também na Faculdade de Medicina Dentária, e inserida no retiro que vai orientar, Rimpoche presidirá a uma cerimónia “de tomada de refúgio” para todos os que queiram iniciar-se na via do Buda. 

Mingyur Rinpoche começou a estudar meditação com o seu pai, Tulku Urgyen Rinpoche, ele próprio um respeitado professor budista, que contactava acom muitos cientistas – o que levou o filho a interessar-se pelo tema. 

Líder da Comunidade de Meditação Tergar, Mingyur Rinpoche tem dirigido conferências e cursos um pouco por todo o mundo. É a sua terceira passagem por Portugal.

Festival de Bem-Estar de regresso.

O Festival de Bem-Estar (Feira Alternativa) está de regresso este verão, após dois anos de interregno por causa da pandemia. O maior e mais antigo evento de terapias complementares e desenvolvimento pessoal realiza-se em Lisboa, no Parque de Jogos 1º de Maio do Inatel, de 9 a 11 de setembro. Desde 2005 é um momento de encontro holístico e de união entre todos os que escolhem viver melhor em consciência e equilíbrio. Exposição, palestras, workshops e aulas práticas darão nova vida ao conceito original que acolhe anualmente milhares de visitantes e centenas de expositores. Este ano está prevista a presença de cerca de 200 expositores, a grande maioria profissionais das várias terapias complementares. É o caso do Reiki, Acupunctura, Reflexologia, Feng Shui, Massagens, Terapia de Som, Cromoterapia, Florais, Mesa Quântica, Numerologia e Cristaloterapia, entre várias outras.

As restantes áreas da cosmética natural, nutrição, alimentação saudável, artesanato e esoterismo estarão igualmente bem representadas. A restauração contará com uma vasta oferta de alimentação saudável, incidindo na vegetariana, vegan e produtos biológicos.

As inúmeras palestras, workshops e showcooking compõem o programa de 2022, com mais de duas dezenas de oradores convidados, e as aulas práticas de Yoga, Chi Kung, Tai Chi, danças e meditação desenrolam-se ao longo dos três dias do evento.

“As áreas do bem-estar, desenvolvimento pessoal e espiritualidade evoluíram muito. Neste Festival criamos momentos de divulgação, promoção e desmistificação de todas as terapias alternativas e complementares, desde que sejam exercidas com responsabilidade”, afirma Jorge Coelho Lopes, responsável pela organização do evento.

E o promotor do Festival de Bem-Estar acrescenta: “Os cuidados que queremos ter com o corpo e a mente dependem do nível de consciência e das crenças de cada ser humano. Respeitando todos, dá-se a oportunidade para que cada um esteja confortável com o que quer e consegue pensar e fazer para se sentir saudável. Mais do que a experiência é a expansão da consciência que queremos promover.”

Num fim-de-semana pensado para desfrutar em família, destacam-se ainda três momentos especiais: a comemoração dos 100 anos do Reiki, pela Associação Portuguesa de Reiki (foi em 1922 que o mestre Mikao Usui desenvolveu o Reiki tal como é hoje praticado); uma mega-aula de Yoga, pela Federação Portuguesa de Yoga; e uma sessão de “Eye Gazing”, exercício tântrico que aumenta a intimidade, pela Escola do Amor.

A entrada individual para o Festival custa 7,5 euros no primeiro dia (sexta-feira) e 10 euros em cada um dos dias seguintes. O passe para os três dias tem um custo de 15 euros.

Datas e horários:

Sexta-feira, 9 de setembro: das 15h às 23h

Sábado, 10 de setembro: das 10h às 23h

Domingo, 11 de setembro: das 10h às 21h

5 dicas para ser pessoa cheia de energia.

Todos temos fases em que andamos mais cansados sem explicação aparente, no entanto, é possível contrariar essa fadiga e, para isso, é essencial mudar alguns hábitos e começar a ter alguns que o vão ajudar a ter mais energia.

A Best Health – meio de comunicação online – deu algumas dicas essenciais e que lhe vão dar muito jeito a longo prazo. Adicione caminhadas à sua rotina Conseguir fazer, diariamente, uma caminha de dez minutos é uma ótima maneira de recuperar energia de uma forma saudável quando se sente mais em baixo. Vá para a cama 15 minutos mais cedoVá indo para a cama 15 minutos mais cedo todos os dias até encontrar a quantidade certa de sono para o seu corpo – quando acordar a sentir-se mais descansado encontrou o horário correto. Vá bebendo pequenos goles de café durante o diaUm estudo da Harvard Medical School descobriu que pequenas doses frequentes de cafeína – cerca de 50ml -, tomadas ao longo do dia, são muito eficazes para manter as pessoas alerta e bem-dispostas. Mantenha-se hidratadoA fadiga é, normalmente, um dos primeiros sintomas de desidratação, por isso, é importante ter sempre consigo uma garrafa de água para ir bebendo ao longo do dia. Experimente um óleo essencial de hortelã-pimentaAplicar um pouco de óleo essencial de hortelã-pimenta no pulso para cheirar, ocasionalmente durante o dia, pode dar-lhe mais energia, segundo um especialista. Quem não gostar de hortelã-pimenta, pode experimentar um óleo mais cítrico como de toranja ou de laranja.

Foto: © Shutterstock

Quer ter uma atitude mais positiva? Siga estes conselhos

Ter uma atitude positiva tem vários benefícios, não só para a saúde mental, como para a saúde física, por isso, é essencial ter comportamentos e hábitos que a incentivem. Pequenas diferenças podem ter um impacto grande e importante, explicaram diferentes especialistas à revista Shape.

O que faz com que o optimismo seja tão poderoso é que se trata de um pensamento com base no realismo, aliás os verdadeiros optimistas são pragmáticos, ou seja, analisam o que pode vir a correr mal e fazem planos para evitar esses cenários. 

Mesmo que não seja algo natural para si, existem diferentes técnicas, comprovadas por especialistas, que vão ajudar a criar uma atitude mais positiva. 

Pegue numa caneta

Diferentes estudos comprovaram que quando as pessoas escrevem a sua versão do seu “melhor eu” – idealmente com a maior quantidade de detalhes possível – e depois visualizam esse “eu” durante cinco minutos por dia, durante uma semana ou duas,  conseguem tornar-se mais optimistas.

Pare de distorcer as coisas

Muitas vezes, forma-se um ponto de vista pessimista quando se tem pensamentos “de tudo ou nada” ou se acredita que os seus sentimentos momentâneos como desespero, raiva ou mágoa, são permanentes. Para conseguir analisar as coisas corretamente, quando isto acontece, dê um passo atrás e pense em si mesmo na perspectiva de outras pessoas e reavalie a situação. Assim vai conseguir avaliar corretamente a situação. 

Passe mais tempo com pessoas optimistas 

Ter bons relacionamentos com amigos e família é algo essencial para a saúde e felicidade. Socializar diminui os níveis da hormona do stress, o cortisol, e activa da dopamina, conhecida como a hormona da felicidade. Quem se rodeia de pessoas optimistas têm mais probabilidades de começarem a ter uma atitude positiva. 

Não desvalorize sentimentos negativos

Segundo os especialistas, é importante não confundir optimismo ou uma mentalidade positiva com esconder sentimentos como raiva, tristeza ou medo, algo que pode ter consequências muito más. É importante aceitar os sentimentos, identificar o que os causou e saber como lidar com eles. 

Dê prioridade ao sono e ao exercício 

Por exemplo, quando não se dorme horas suficientes as emoções não são reguladas corretamente, o que pode fazer com que os pensamentos negativos assumam o controlo, por isso, é importante ter uma boa rotina de sono. Já o exercício liberta diferentes substâncias químicas que ajudam ao bem-estar e que podem ajudar a reduzir stress, depressão e ansiedade. 

Lisboa: Cinco locais para praticar Yoga.

Se o que o afasta do Yoga é a lengalenga de que é apenas para pessoas jovens ou muito flexíveis, desista já dessa desculpa. Se nunca experimentou esta modalidade, basta ter vontade, começar devagar e ir praticando. Seja qual for a sua idade ou condição física, quer procure algo com movimento ou mais vagaroso, não faltam propostas em Lisboa para fazer um ‘refresh’ ao corpo e à mente.

Os benefícios são muitos. Fazer yoga concede não só longevidade, como permite tonificar os músculos, aumenta a flexibilidade, diminui os níveis de stress, melhora a postura, reduz o colesterol e controla a pressão arterial.

Aqui está uma lista de ‘spots’ na capital portuguesa que pode – e deve – conhecer:

1-  Yoga Room Lisbon

Este espaço disponibiliza uma enorme variedade de estilos e níveis de yoga. De aulas de iniciação, a yoga à luz de velas e hot yoga, há muito por onde escolher. Os preços variam entre os 65 (passe Descoberta, com acesso ilimitado a todas as aulas durante 30 dias) e os 1067 euros (passe 12 meses). 

Morada: Rua Doutor António Cândido, 15B, 1050-115 Lisboa

2- Kula Yoga Lisbon

Aqui tem a oportunidade de agendar uma aula privada com o seu instrutor de yoga preferido. Todas as aulas têm a duração de 75 minutos, à excepção das matinais (60 minutos). O custo das aulas começa nos 13 euros (uma aula com materiais incluídos) e pode chegar os 95 euros (10 aulas com 10 materiais incluídos). 

Morada: Rua Monte Olivete, 30A, 1200-424 Lisboa

3- Soul Care & Yoga Shala

Totalmente alinhado com os princípios do feng shui, disponibiliza aulas de ashtanga yoga mysore e hatha yoga.

Morada: Calçada das Necessidades, 56 cave esquerda, 1350-214 Lisboa

4- Asha Wellness Studio

Neste estúdio em Alcântara, junto ao LX Factory, todos são bem vindos. Não se distinguem níveis de prática. Há aulas disponíveis a partir de 35 euros.

Morada: Rua Maria Luísa Holstein, 15, sala 20, 1300-388 Lisboa

5- Sacral&Heart Yoga

Neste estúdio, as aulas são ao final do dia, ao por do sol ou à luz das velas, e em pequenos grupos. Quanto aos preços, pode uma aula pelo valor de 15 euros. As privadas custam 50 euros. 

Morada: Rua Manuel da Silva Leal, 2, 5º esquerdo, 1600-166 Lisboa

Fonte: Lifestyle ao Minuto