Tag Archive | Felicidade

A Felicidade é composta por pequenos fragmentos de Alegria

felicidade2

Talvez todos nós saibamos o que é a felicidade, mas defini-la não é fácil. O que é a felicidade? De que ela é composta? Ela  invade-nos constantemente ou é formada por pequenos pedaços que tocam a nossa alma quando menos esperamos e também quando a provocamos? Porque em vez de nos lamentarmos dizendo que não somos felizes, não provocamos a nossa própria felicidade?

Talvez a felicidade não seja uma circunstância, mas sim uma atitude. Talvez não dependa tanto do dinheiro e das coisas materiais que temos, de como o trabalho vai bem ou mal, de termos mais ou menos dinheiro. Talvez a felicidade dependa de coisas simples, como aproveitar um dia ensolarado na companhia de pessoas queridas, passear de mãos dadas com o seu neto ou filho, ou comer um delicioso queque de chocolate. O que acha?

“A felicidade é interna, não externa; portanto, não depende do que nós temos, mas sim do que nós somos.”
-Henry Van Dike-

O que é a felicidade?

Evidentemente, cada pessoa terá a sua própria ideia sobre o que é a felicidade. Mas às vezes quando a vida nos testa, damo-nos conta de que muitas coisas que pensávamos que faziam parte do nosso quebra-cabeça particular mudaram.

Essas peças já não são compostas de coisas materiais, de sentirmos que somos os mais bonitos da festa, etc. Agora, poder ver o sol todos os dias ou sentir o perfume das flores adquiriu uma nova dimensão…

“A minha felicidade consiste em apreciar o que eu tenho e não desejar em excesso o que eu não tenho.”
-Leon Tolstoi-

Uma bela lista de felicidade com pequenos fragmentos de alegria

Provavelmente cada um de nós tem a sua própria lista, e entre todos poderíamos fazer uma lista enorme, mas está de acordo com essas afirmações sobre a felicidade, essa que a vida nos dá em porções pequenas, mas deliciosas?

  • Acordar no meio da noite e ver no despertador que ainda faltam 5 horas para se levantar, e ver que não há maior prazer do que poder desfrutar o sono. O sono dá-nos bem-estar para o nosso corpo e mente.
  • Comer um queque enquanto lhe dão um beijo na bochecha. O chocolate e os beijos… Tem coisa melhor do que isso? Endorfinas puras.
  • Sentir o abraço daquela criança que ama tanto. As crianças têm uma capacidade infinita de nos fazer sentir queridos e, portanto, felizes. Sinta o abraço dessa criança que tanto ama e guarde este instante para sempre no seu coração.
  • Ver o seu filme favorito com doces, chocolates e pipocas. Os filmes distraem-nos, fazemf-nos fugir da nossa realidade que por vezes parece feia. Quando estiver num momento desses, coloque um filme. É uma maneira muito simples de ter um pouco de felicidade.
  • Rir sem parar com uma piada. Rir é tão saudável! Ria dando gargalhadas, verá como será preenchido com felicidade e como as suas defesas aumentam! Além disso, o riso é um bom aliado da felicidade e, portanto, da saúde.
  • Fazer o que mais gosta sem pressa e nem stress: cozinhar, dar um passeio, andar de bicicleta ou patinar. Porque temos que nos stressar até nos momentos próprios para relaxar?
  • Sentir um abraço sincero. Há algo mais saudável, mais sincero e que nos enche de tanta felicidade do que um simples abraço? Os abraços são uma grande fonte transmissora de emoções e sensações de prazer.
  • Escutar a sua música favorita no último volume. A música é um grande bálsamo para a nossa alma. Já foi demonstrado que a música é capaz de liberar as endorfinas da felicidade. Divirta-se com as músicas que gosta.
  • Passar um tempo com os amigos. Relacionarmos com os outros com frequência, desde que sejam pessoas positivas e boas para nós, ajuda a suportar os maus momentos.

Moral da história… Não acredita que a felicidade está muito mais perto do que pensa? Basta que se proponha a encontrá-la. Procure e desfrute desses pequenos momentos que te fazem sentir tão bem… Aprenda a ser feliz!

 

amenteémaravilhosa

Felicidade também se aprende

true-happiness

Muitas mentiras e meias-verdades convincentes, são contadas em nome dessa tal felicidade.

A imaginação popular acredita que a felicidade é uma espécie de “nirvana” que podemos alcançar. É um estado de plenitude e felicidade constante.

“Felicidade é perceber que nada é muito importante”.
– António Gala –

Em cada época, a sociedade estabelece as características ou condições que devemos ter para entrar nesse “paraíso”. Actualmente, a ideia de felicidade se baseia em três pilares: poder, riqueza e beleza.

Entretanto, a ideia do nirvana e seus três pilares, resultou em pessoas mais frustradas do que felizes. O poder, a riqueza e a beleza não trazem tanta felicidade como muitos acreditam.

Se esses três pilares realmente fossem indispensáveis para sermos felizes, não veríamos tantos ricos e poderosos viciados em drogas e com tantos problemas na sua vida pessoal.

Então, o que é a felicidade? Como podemos alcançá-la?

Um estudo realizado na Universidade de Harvard pelo professor Tal Ben-Shahar, especialista em psicologia positiva, mostra que podemos aprender a sentir alegria. Essa aprendizagem depende de técnica e prática.

Citamos aqui as seis chaves para a felicidade de acordo com Tal Ben-Shahar.

1- Aprenda a celebrar os fracassos

As pessoas que são capazes de avaliar positivamente as suas falhas conseguem ser mais felizes. Acreditar que somos infalíveis e que não podemos errar pode nos fazer muito mal. É uma posição idealista e tirana, porque todos nós cometemos erros.

Será que o erro não é o nosso incentivo diário para aprendermos coisas novas? Até a própria ciência, que é um modelo de rigor e perfeição, cometeu muitos enganos ao longo da sua história.

Acreditar que não devemos ou não podemos cometer erros é uma ideia que só provoca ansiedade e depressão.

2- Agradeça

Pode acreditar que a sua saúde, a sua família e o seu trabalho, são realidades que estarão consigo para sempre e não lhes dá o devido valor. Fazem parte da sua vida e se esquece de que pode perder tudo a qualquer momento.

Na verdade, esquecemo-nos de agradecer por todos esses milagres diários que parecem tão normais. Infelizmente, percebemos o seu valor quando os perdemos.

3- As endorfinas

As endorfinas são os hormonas da felicidade. Estão aqui mesmo, no nosso cérebro. Estão à nossa disposição o tempo todo, mas não sabemos como usá-las. Uma caminhada diária de trinta minutos ajuda a liberar endorfina. Um abraço de dez segundos libera três minutos de endorfina e felicidade.

É muito simples, é só uma questão de hábito. Realize todos os dias práticas que liberem as endorfinas e seja muito mais feliz.

4- Simplifique a vida

É verdade que vivemos só uma vez, mas isso não significa que devemos viver tudo de uma vez. Umas das doenças actuais é querer fazer tudo rapidamente e muitas coisas ao mesmo tempo. A nossa saúde física e mental não resiste por muito tempo a esse ritmo de vida tão stressante.

Aprenda a organizar-se. Dê a cada actividade o seu tempo e o seu valor. Provavelmente não vai morrer de fome se trabalhar um pouco menos. Tenha um tempo só para si e para seus entes queridos.

5- A meditação

Não precisa de se transformar num Lama Tibetano. Pare alguns momentos para praticar um exercício simples de meditação.

A meditação pode ser uma grande aliada para alcançar a paz interior e melhorar as habilidades cognitivas, criativas e a força de vontade.

 

6- Cultive a resiliência

Sim, podemos cultivar a resiliência. Não é uma habilidade inata, mas podemos desenvolvê-la. Ela pode ser definida como a capacidade de lidar com situações adversas e sair delas fortalecido.

É preciso se esforçar para ser uma pessoa resiliente. Precisamos de encontrar a flor dentro do lodo, a aprendizagem nas dificuldades. É o caminho para a sabedoria e a felicidade entendido em termos realistas: uma relativa paz interior e a capacidade de ver o melhor em tudo o que vivemos.

Edith Sánchez

Quer ter uma Relação Feliz? Evite estes 10 Comportamentos.

couple-in-winter

Há comportamentos e atitudes que parecem inofensivas mas que desgastam seriamente uma relação amorosa. Provavelmente vai perceber que tem alguns ou mesmo todos. Estes são os mais comuns e aqueles que, segundo os especialistas ouvidos pelo site especializado Everyday Health, mais podem desgastar a vivência a dois.

‘O que é que se passa? Nada’

Fingir que nada de errado se passa quando na verdade se sente aborrecido ou magoado provoca tensão e ressentimentos acumulados. O seu parceiro vai perceber que não está bem, mas se não lhe diz o motivo, não podem resolver a questão. O pior de tudo é que estes assuntos não resolvidos acabam por voltar vezes sem conta.

‘A tua mãe, outra vez?’

Não é raro pais e sogros serem motivo de conflito entre os casais. É importante pôr este assunto no lugar e adoptar uma estratégia comum. Por exemplo, podem combinar ter os pais a jantar lá em casa uma vez por semana ou alternar férias com a família de um num ano e de outro noutro ano. O mais importante é definir as regras para que depois não surjam discussões.

‘Hoje não vamos ter a nossa noite’

É importante que de vez em quando tenham pelo menos uma noite só para os dois. A não ser que seja por um motivo de força maior como uma emergência ou doença, nunca deve abdicar deste tempo que permite cultivar a ligação enquanto casal e ter conversas que não poderiam ter na presença dos filhos, amigos ou outros familiares.

‘Sexo? Estou com tanto sono…’

É normal sentir-se cansado no final do dia e é perfeitamente compreensível quando se trata de casais com vidas ocupadas. No entanto, é importante encontrar tempo quando sente energia e vontade de ter sexo. Provavelmente poderá pensar noutras alturas como uma manhã de fim de semana.

‘Vou-me embora’

Ir-se embora a meio de uma discussão pode ter efeitos muito nocivos na relação, especialmente se envolver bater portas ou insultos. É um jogo de poder que deixa o outro a sentir-se abandonado e sem saber como agir. Se sente que precisa de se afastar para acalmar os ânimos, pode pedir calmamente para fazer uma pausa. ‘Preciso de ficar um pouco sozinho para clarificar as ideias. Podemos interromper a conversa e já falamos?’. Esta é uma abordagem mais eficaz.

Tempo a dois com televisão e tablets

Finalmente têm tempo a dois. Mas em vez de estarem um com o outro, sentam-se no sofá e ligam a televisão ou pegam no tablet para ver o e-mail. A tecnologia pode ser viciante e divertida, mas é também uma fonte de grande distracção do que é realmente importante. Por isso, aproveitem para fazer alguma actividade a dois como um jogo de tabuleiro ou para simplesmente conversar e namorar.

‘Sim, foi óptimo’

Fingir orgasmos ou fingir que gosta de determinadas posições sexuais pode ser bastante nocivo para a sua relação e até injusto para o seu parceiro. A vida sexual pode melhorar bastante se optarem pela honestidade e disserem o que realmente gostam.

‘Não precisamos de férias a dois’

As férias em família são divertidas, mas não oferecem ao casal a oportunidade de descansar e namorar. Pelo menos uma vez por ano devem tentar ter férias a dois ou, caso não seja possível, pelo menos tentar um fim de semana, nem que seja na cidade onde vivem.

‘Acabaram-se as noites com os meus amigos’

Muitos casais optam por deixar de ter noites com os seus próprios amigos. Porém, é importante ter tempo para os seus amigos e para desenvolver os seus interesses. Podem estabelecer algumas regras, como por exemplo não estar fora toda a noite, mas é importante confiarem um no outro e cultivarem as amizades anteriores ao casamento. 

‘Casei-me, sim, é normal ter ganho peso’

É comum os casais ganharem peso e desleixarem-se com a aparência depois de estarem casados. No entanto, isto tem consequências físicas e emocionais para ambos. Não deve desistir de si e do seu corpo, pela sua auto-estima e pelo estímulo da sua relação. Façam um pacto para se manterem activos e comerem de forma saudável.

Fonte: Everyday Health

Construa uma Mente Feliz

Sabia que basta trabalhar três qualidades para conseguir ser uma pessoa menos stressada e angustiada? Veja o que deve começar a mudar para ter uma vida mais satisfatória

transferir

Quantas vezes ao longo do dia é que se aborrece com coisas sem importância, se deixa alterar por causa dos outros, fica frustrado ou mal-humorado? Todos estes episódios, por mais curtos que sejam, afetam a sua felicidade. Com o passar do tempo, muitos deles podem mesmo a gerar ansiedade, psicoses ou até conduzir à depressão. Quer ter uma mente feliz? Então precisa de começar a trabalhar já estas três qualidades:

– Generosidade

Lembre-se que não é superior a ninguém e de que toda a gente merece ser feliz. No seu dia a dia, procure ser generoso e afável. Muitas vezes, basta um sorriso para fazer os outros felizes e, se estivermos rodeados de gente satisfeita, acabamos também por ser contagiados por essa sensação de bem-estar.

– Disciplina moral

Controle os seus pensamentos, palavras e ações. Não fira os sentimentos dos outros só porque tem um problema do qual ninguém tem culpa. Procure colocar-se na posição dos outros antes de os recriminar ou de os atacar. Essa relativização leva-nos, muitas vezes, a olhar para as pessoas e para as situações com outros olhos.

– Paciência

Contemple todas as dificuldades como se fossem um modo de aprendizagem. Fazê-lo vai ajudá-lo a vê-las e a encará-las de forma mais positiva. Ser mais paciente vai também permitir-lhe a aprender a estimar mais as outras pessoas. Da próxima vez que entrar em ebulição, respire fundo!

 

Revista Prevenir

10 maneiras simples de ser mais Feliz todos os dias

true-happiness

Quer ser mais feliz? Comece cuidando melhor de si mesmo. Por mais que isso seja evidente, muitas pessoas pulam esse passo e tentam ser contentes procurando novas metas ou estabelecendo padrões de perfeição.

Ser gentil consigo mesmo pode aproximar a objectivos mais sofisticados, segundo o Daylle Deanna Schwartz. A autora de mais de 15 livros, incluindo “The Effortless Entrepreneur” (em português, Empreendedor Sem Esforço), acredita que é ao valorizarmo-nos que se constrói a confiança.

Para Daylle, as pessoas mais alegres desviam-se dos seus caminhos para cuidarem de si mesmas e dizem não quando é necessário. “Quando se ama, aprende que negar fazer algo é um acto importante para não acumular sentimentos negativos”, diz.

Confira as 10 dicas da escritora, listadas no site da “Inc.” para ser mais feliz todos os dias.

1. Faça uma coisa boa para si mesmo por dia
Mantenha consigo mesmo um acordo de se tratar com amor e carinho todos os dias. Segundo a autora, pessoas que fazem isso sentem-se mais motivadas e não se deixam ser desvalorizadas por alguém.

2. Perdoe-se
Desculpar-se ou perdoar-se nem sempre é fácil, pois há uma tendência de se culpar por tudo que não deu certo no passado. As pessoas começam a complicar-se quando tentam ser perfeitas demais e se castigam por não conseguir. Daylle recomenda um exercício: olhar no espelho e dizer “eu me amo e me perdoo”.

3. Aceite-se como você é
Daylle lista a insatisfação com o corpo e a idade como grandes obstáculos pessoais das pessoas. Para ser feliz, precisa de aprender a gostar do que tem. Além disso, essa auto-aceitação engloba reconhecer a sua renda e seu sucesso. “Não ganhar o dinheiro estabelecido para uma determinada idade não é um problema grave.”

4. Elimine pessoas nocivas
A dica é mais fácil de falar do que fazer, mas evite se relacionar com clientes, sócios, investidores ou funcionários que passam uma sensação negativa. É mais difícil ter a mesma postura perante a família, mas não há razões válidas para aturar pessoas grosseiras.

5. Prioridade na saúde
Tenha cuidado para encontrar um equilíbrio entre o que é saudável e o que é de prazer. Não se castigue pela quebra no regime ou pela ausência pontual no ginásio, por exemplo. Seja disciplinado, mas entenda suas vontades.

6. Pare de pular refeições
“Estar ocupado não é desculpa para não comer”, diz Daylle. Segundo a autora, ao pular uma refeição, o nível de açúcar no sangue diminui e os níveis de stress aumentam. Se realmente não puder sentar-se para comer, providencie um lanche saudável e prático.

7. Respire!
Não se esqueça de que, quando está stressado ou deprimido, exercícios simples de respiração podem trazer calma e alegria de volta.

8. Tenha um espaço aconchegante
Arrumar a cama e deixar o quarto em ordem criam um ambiente receptivo para quando chegar em casa cansado. A mesma postura deve ser mantida no escritório. Jogue fora a papelada desnecessária e organize os seus pertences, mas não se limite a isso. Decore o seu espaço e torne-o agradável para si.

9. Tome um pouco de Sol
Trabalhar o dia inteiro em um ambiente escuro e fechado não é saudável. Se este é o seu caso, saia para tomar um ar de tempos em tempos. Além disso, invista em lâmpadas claras para iluminar o ambiente.

10. Presenteie-se com produtos de qualidade
É o tipo de pessoa que dá um presente sofisticado para o colega, mas tudo que compra para si mesmo é a versão mais barata disponível? Se o produto em questão é indiferente para si, tudo bem. Mas, se for algo do seu interesse, compre algo mais caro de vez em quando. Sempre que usá-lo, vai reforçar a ideia de que merece coisas boas.

Oportunidade única para Felicidade Duradoura | Jamyang Khyentse Chökyi Lodrö

JKCL_View-480x300

 

Você descuidado, coloque as suas mãos no coração e pense:
Esses planos para o futuro, baseados numa negação da morte,
Arruínam o propósito verdadeiro desta vida e das futuras,
E o inimigo, Yama, apenas irá tê-lo debaixo das suas narinas — pense bem!

Quando for pegado na passagem desta vida,
Não haverá como suportar a dor e a tristeza,
E tudo será uma rio sem fim de lágrimas —
Traga isso à mente e seu coração certamente irá hesitar.

Agora, com estas liberdades e vantagens, tem um suporte para a prática — uma oportunidade única!
Em vez de desperdiçar tal momento inestimável,
Por que não se esforçar para realizar o objectivo da felicidade duradoura? Considere!

Jamyang Khyentse Chökyi Lodrö 1893 – 1959

A Felicidade depende de Ti – Sogyal Rinpoche

200910ll1nomicroslidecrop

Muitos grandes mestres disseram que ” só é tolo quem ir à procura de felicidade fora de si; o sábio e inclinou-se saber que toda a felicidade e as causas da felicidade estão presentes em nós mesmos, em nossa própria mente e coração. “

O que isto significa é que a felicidade depende de nós. Se soubermos como usar essa nossa mente, e se chegamos a compreender a nossa mente e sua verdadeira natureza, então nada pode ser mais maravilhoso. Nós tornamo-nos o mestre do nosso próprio eu, e nossa mente torna-se a fonte de liberdade. Infelizmente, se não sabemos como usar a mente, e somos dominados por nossos pensamentos e emoções destrutivas, então a mente pode vir a ser o nosso muito pior inimigo, um pesadelo real.

Para saber que a mente é a raiz de tudo é perceber que estamos finalmente responsável para tanto a nossa própria felicidade e o nosso próprio sofrimento. Ele está em nossas mãos.

10 Coisas que nós acreditamos que nos farão felizes, mas que não fazem.

MatthieuRicard_2004-embed

As dez coisas que nós acreditamos que nos farão felizes, porém não fazem, é um texto do famoso monge budista francês Matthieu Ricard– que, para quem não se lembra, já foi apresentado como “o homem mais feliz do mundo” e já foi orador do TED sobre felicidade. Se nós olharmos bem e formos sinceros, vamos perceber que todos procuramos algo que está nessa lista, estamos perseguindo algo que fatidicamente não nos tornará feliz – e muitos de nós estamos atrás de mais de um dos itens (e é um pouco assombroso pensarmos que podem existir pessoas perseguindo todos esses itens).

PhD em Genética Molecular no Instituto Pasteur, Matthieu Ricard não se dedica mais à vida académica, é hoje tradutor francês do XIV Dalai Lama, membro do Mind & Life Institute, dedicado a pesquisas para a compreensão científica da mente, e é o principal coordenador da Associação Karuna-Shechen, dedicada à educação e serviços de cuidado para as pessoas mais velhas.

As dez coisas que nós acreditamos que nos farão felizes, mas que não fazem, segundo Matthieu Ricard, são:

1. Ser rico, poderoso e famoso.

2.  Tratar o universo como se fosse um catálogo de pedidos para os nossos caprichos e desejos

3. Desejar a “liberdade” para fazer tudo o que vem à mente. (Isto não é ser livre, mas escravos de nossos pensamentos).

 4.  Procurar constantemente as nossas sensações de prazer, uma após a outra. (As sensações de prazer rapidamente se desfazem e se tornam até chatas ou desconfortáveis).

5. Querer vingar de forma maldosa de qualquer pessoa que tenha ferido o nosso ser. (Ao fazer isso nós nos tornamos tão ruins quanto eles, e envenenamos as nossas mentes).

6. “Se eu tivesse tudo, certamente ficaria feliz”, ou “Se eu tiver isto ou aquilo, eu posso ser feliz.” (Tais previsões não são geralmente correctas).

7. Querer sempre ser lisonjeado e nunca enfrentar qualquer tipo de crítica. (O que não nos ajudará a progredir).

8. Eliminar todos os seus inimigos. (A animosidade nunca nos trará a felicidade).

9. Nunca enfrentar as adversidades. (Isto faz de nós fracos e vulneráveis).

10.  Focar os nossos esforços em apenas cuidar de nós mesmos. (O amor altruísta e compaixão são as raízes da verdadeira felicidade).

Sete passos para ser mais feliz

happy-girls

É o desejo mais universal e mais antigo da Humanidade e objecto de várias teorias filosóficas e estudos. Nas últimas décadas, a psicologia descobriu alguns traços comuns aos “felizes”

  • Comprometer-se com os objectivos

As pessoas felizes têm muita energia e canalizam-na para cumprir missões. Os psicólogos defendem que quanto mais vemos um objetivo como parte de nós mesmos, mais energia iremos utilizar para o cumprir.

  • Encontrar significado no trabalho

Amy Wrzesniewski, uma psicóloga organizacional de Yale, lançou em 1997, juntamente com algumas colegas, um ensaio acerca de como as pessoas se relacionavam com o seu trabalho, identificando três formas de o encarar: como um trabalho, onde a pessoa se focava na parte financeira e na necessidade; como uma carreira, onde a pessoa se focava no avanço, e como um ‘chamamento’, onde se focava na alegria de realização, sendo o trabalho socialmente útil. A conclusão? As pessoas que encontram um sentido no seu trabalho são as mais felizes.

  • Passar tempo com pessoas que se gosta

Apesar de ser um cliché, a verdade é que estudos confirmam que passar tempo com pessoas que ama, o fará mais feliz.

  • Cultivar uma relação de longo-prazo

Recentemente o New York Times referiu-se a uma investigação que concluía que “estar casado faz as pessoas mais felizes e satisfeitas com as suas vidas, ao invés daqueles que permanecem solteiros – particularmente durante os períodos mais stressantes, como as crises de meia idade.”

  • Ingerir alimentos frescos

Um estudo realizado em 2013 concluiu que comer bastante fruta e vegetais frescos tem um correlação positiva com a felicidade. Pessoas mais jovens que ingeriam entre sete e oito peças de fruta ou vegetais por dia, tinham níveis de felicidade mais elevados.

  • Fazer exercício

Um estudo holandês que observou 8000 pessoas entre os 16 e os 65 anos, concluiu pela importância do exercício no estabelecimento da felicidade: “pessoas que praticam exercício estão mais satisfeitas com a sua vida e mais felizes que pessoas de todas as idades que não o praticam.”

  • Comprar experiências

Segundo o psicólogo de Harvard Daniel Gilbert, se o dinheiro não compra felicidade, então não está a ser bem gasto, pois deverá ser usado para comprar experiências em vez de bens materiais. Num questionário realizado a mil americanos, 57% responderam que obtiveram mais felicidade quando adquiriram uma viagem ou foram a um concerto, ou outro evento, em vez de uma compra material. A razão deste impacto positivo deve-se ao facto de nos lembrarmos das experiências e assim as podermos apreciar durante mais tempo.

Fonte: Visão

Felicidade e Paz

wholehappiness-sunshine

Determinação, coragem e autoconfiança são factores decisivos para o sucesso. Não importa quais sejam os obstáculos e as dificuldades. Se estamos possuídos de uma inabalável determinação, conseguiremos superá-los. Independentemente das circunstâncias, devemos ser sempre humildes, recatados e despidos de orgulho.

O que mais nos incomoda é ver os nossos sonhos frustrados. Mas permanecer no desânimo não ajuda em nada para a concretização desses sonhos.

Se ficamos assim, nem vamos em busca dos nossos sonhos, nem recuperamos o bom humor! Este estado de confusão, propício ao crescimento da ira, é muito perigoso. Temos de nos esforçar e não permitir que a nossa serenidade seja perturbada.

Quer estejamos vivenciando um grande sofrimento, ou já o tenhamos experimentado, não há razão para alimentarmos o sentimento de infelicidade.

A felicidade é um estado de espírito. Se a sua mente ainda estiver num estado de confusão e agitação, os bens materiais não lhe vão proporcionar felicidade. Felicidade significa paz de espírito.

Dalai Lama

%d bloggers like this: