Tag Archive | Preocupações

Como superar a ansiedade produzida pelo excesso de preocupações

teste-de-ansiedade

Preocupações podem ser úteis quando precisa de tomar medidas e resolver um problema, mas estar constantemente preocupado com o que pode acontecer causa mais um problema. Esta preocupação gera dúvidas e medos que nos paralisam, esgotam a nossa energia emocional, aumentam os nossos níveis de ansiedade e, em geral, interferem na nossa vida quotidiana.

Mas a preocupação crónica é um hábito da mente que pode ser superado, treinando o cérebro para manter a calma e ver a vida de uma perspectiva mais positiva.

Por que é tão difícil parar de se preocupar?

Os pensamentos de ansiedade das pessoas com preocupação crónica são alimentados pelas crenças que elas têm relativas à preocupação.

Por um lado, pode-se pensar que uma pessoa constantemente preocupada está com um nível de preocupação prejudicial, que vai ficar louco(a), que vai ter sua saúde física afectada, ou até mesmo que perderá o controlo sobre o que se está preocupado. Toda esta preocupação torna-se um círculo vicioso que, fortalecido, continuará a crescer.

Por outro lado, as preocupações dessas pessoas podem-se concentrar em evitar coisas más, evitar problemas, preparar-se para o pior, encontrar possíveis soluções. Eliminar este hábito é complicado, já que as pessoas acreditam que a sua preocupação lhes protege.

Em qualquer caso, para colocar fim à preocupação crónica e à ansiedade gerada pela crença de que a preocupação tem um efeito positivo, deve-se tentar ver que a preocupação é o problema e não a solução. É possível recuperar o controlo da mente preocupada.

Estratégias para superar a ansiedade e as preocupações

Para superar a ansiedade causada pelo excesso de preocupações podemos demonstrar uma série de estratégias que nos ajudarão a nos sentirmos melhor com os nossos problemas.

#1 – Criar um período de preocupação

É difícil ser produtivo dia após dia quando a ansiedade e preocupação dominam os nossos pensamentos. Tentamos distrair-nos, fazendo outras coisas para evitar pensar sobre o que nos preocupa, mas a preocupação retorna novamente e pode ser ainda mais forte. E para pensarmos em outra coisa temos que estar cientes daquilo que não queremos pensar, o que solidifica esse pensamento de preocupação e dá a ele mais importância.

Para lidar com estes pensamentos constantes de preocupação, pode optar por criar um “período de preocupação”, ou seja, um tempo e um lugar de preocupação. Deverá ser o mesmo todos os dias, mas não pode causar ansiedade antes de dormir. Durante o seu período de preocupação, poderá preocupar-se com tudo o que está na sua mente e deixar o resto do dia livre de preocupações.

 Se ainda assim não for possível eliminar esses pensamentos durante o dia, tente adiar a preocupação e escrever num papel o que acontece consigo. Este gesto irá ajudá-lo a sentir que não irá esquecer de se preocupar com isto, no seu “período diário de preocupação”.

Durante o período de preocupação verifique a sua “lista de preocupações” e reflicta sobre ela. Isso vai ajudar a descobrir se elas são infundadas ou não. Escrever sobre isso poderá ajudar muito a organizar as suas ideias.

Adiar as preocupações é eficaz porque isto quebra o hábito de centrar-se nas preocupações nestes momentos, e evita que haja uma luta para suprimir o pensamento ou julgá-lo. Desenvolver a capacidade de adiar os pensamentos que causam ansiedade é o que dá mais controle sobre as preocupações.

#2 – Será que o problema tem uma solução

Enquanto estamos preocupados sentimo-nos menos ansiosos por alguns momentos, porque enquanto fazemos isso, distraídos das nossas emoções, sentimo-nos como se nós tivéssemos conseguido algo. Mas a preocupação e a resolução de problemas são duas coisas muito diferentes, já que apenas preocupar-se não resolve nada.

O que importa então é distinguir entre as preocupações que têm solução e as que não têm. Se o problema que nos preocupa tem solução, então pense em como resolvê-lo e quais medidas deve tomar para fazer isso. Isto torna a preocupação produtiva e aproxima-nos de uma solução que nos liberta da tensão.

Mas se o problema que nos preocupa não tem solução, devemos aprender a não prestar atenção nele. As preocupações do tipo “E se…” muitas vezes não se justificam. E se realmente a preocupação pode ser resolvida, deve-se tomar medidas e não focar nas consequências. Por exemplo, se está preocupado que um dia poderá vir a sofrer de qualquer doença grave, encontre uma maneira de viver uma vida saudável que irá ajudá-lo a não pensar sobre como resolver o que poderá vir a acontecer consigo.

#3 – Aceitar a incerteza

A incapacidade de tolerar a incerteza desempenha um papel muito importante na ansiedade e na preocupação. As pessoas com preocupação crónica não suportam a dúvida ou a imprevisibilidade. A preocupação é vista por estas pessoas como uma maneira de prever o futuro e evitar surpresas desagradáveis e controláveis. Mas este não é o caso e a questão não funciona assim. Ao tentar antecipar soluções, revive a dor uma e outra vez.

Desafiar a intolerância da incerteza é a chave para o alívio da ansiedade produzida pelas preocupações. Deve reflectir sobre isso e perguntar-se se é possível ter alguma certeza na vida, se é possível saber ou ter a certeza do que vai acontecer, ou se é realmente possível avaliar todas as opções e encontrar soluções para todas elas.

#4 – Desafiar os pensamentos de ansiedade

Pessoas com preocupação crónica vêem muito mais perigos do que realmente existem, isto faz com que elas exagerem as possibilidades de que as coisas darão erradas e subestimam a própria capacidade de lidar com os problemas, assumindo desde o começo que elas não serão capazes de superá-los.

Estas atitudes irracionais e pessimistas são conhecidas como distorções cognitivas e são muito difíceis de lidar e solucionar. Entretanto, difícil não quer dizer impossível. A solução pode ser alcançada com um bom treino.

 Temos que começar por identificar o pensamento que gera a preocupação em detalhes, e em vez de tratar os pensamentos como factos, iremos tratá-los como uma hipótese que está em teste. Examinar e desafiar as preocupações e os receios ajuda a desenvolver uma perspectiva mais equilibrada.

#5 – Esteja ciente de como os outros nos afectam

As emoções são contagiosas, e aqueles que nos rodeiam nos afectam muito mais do que podemos perceber. Manter um diário de preocupações onde anotamos os pensamentos e os gatilhos que criam ansiedade ajuda a descobrir padrões e a enfrentar o que nos causa preocupação.

Quando compreendermos quem são as pessoas que nos causam ansiedade, é importante tentar passar menos tempo com elas. Isto é difícil, mas muitas pessoas, muitas vezes sem malícia, despejam os seus problemas em nós, ou intensificam os nossos medos com suas atitudes. Afastar-se pode ser difícil, mas é muito eficaz.

Por outro lado, escolher as pessoas certas para partilhar os nossos pensamentos é algo bastante delicado. Procure pessoas positivas que irão ajudá-lo a ver as coisas por uma perspectiva diferente e não complicada. Cerque-se de pessoas que não irão lhe dar mais preocupações do que as que já tem.

#6 – Pratique a atenção plena

A preocupação centra-se geralmente no futuro, no que poderia vir a acontecer. Focar no que acontece no presente ajuda a liberar as preocupações em relação ao que vai acontecer e ajuda a viver no momento presente.

Esta estratégia baseia-se em observar os sentimentos e depois deixá-los ir, para identificar onde é que o pensamento está causando problemas, ao mesmo tempo em que ajuda a entrar em contacto com as suas próprias emoções.

Para fazer isso, deve reconhecer e observar os pensamentos e sentimentos sem tentar controlar nada, como se estivesse do lado de fora, como se estivesse olhando para um estranho. É mais fácil identificar os pensamentos que nos preocupam quando olhamos para eles pelo lado de fora, sem resistência. Então, lá, estaremos focados no momento presente, prestando atenção na respiração, no corpo, nos pensamentos que emergem para que libertem-se e removam o congestionamento causado pelas preocupações.

O uso da meditação consciente para manter a concentração no presente é um conceito simples, mas é preciso prática para obter benefícios. Embora possa ser frustrante nas primeiras tentativas, gradualmente, reforçando um novo hábito da mente, poderá se libertar do ciclo da preocupação negativa.

Amenteemaravilhosa

9 Coisas Com o Qual Tens De Parar De Te Preocupar

Imagem

Há uma década atrás, quando eu disse à minha avó que estava preocupado em fazer uma mudança de vida significativa e , de seguida, lamentar a minha escolha , ela disse, ” Sabes qual é o meu maior arrependimento ? É não ter tido mais oportunidades para fazer as mudanças necessárias  quando eu tinha a sua idade . “  As suas palavras ficaram presas no fundo da minha mente desde então, e essas palavras ajudaram-me a fazer muitas escolhas positivas na vida. Isto é especialmente verdadeiro quando eu der um encontrão contra a realidade de que alguma coisa na minha vida não está funcionando, e que talvez seja hora de fazer algumas mudanças.

Se está enfrentando uma realidade semelhante , pergunte a si mesmo : “O que estou a fazer para focar que definitivamente não está funcionando ? “

Uma grande parte de sua vida é o resultado do que escolher para se concentrar. Se não gosta de algo, é hora de escolher de forma diferente. Não tenha medo de abrir mão dos seus velhos hábitos e começar de novo hoje. É uma nova oportunidade para reconstruir o que você realmente quer.

Aqui estão nove coisas que eu abordei e removi em minha própria vida – algumas armadilhas emocionais comuns com o qual não deveremos se preocupar:

 

1. Velhos Arrependimentos
Você não tem que ser definido pelas coisas que já fez ou deixou de fazer no passado. Não se deixe ser controlado pelo arrependimento. Talvez haja algo que você poderia ter feito diferente, ou talvez não. De qualquer forma, é apenas algo que já aconteceu. Limpe o seu coração desses arrependimentos todas as noites. Assim como o seu corpo precisa de lavagem regular, porque fica sujo todos os dias, também se faz o mesmo ao seu coração. Porque cada dia as pessoas podem feri-lo, ofendê-lo, esquecer, desprezar, passar por cima de si, ou rejeitá-lo. Mas se escolher perdoar essas pessoas e libertar essas coisas antes de ir dormir, limpa o seu coração. Acorda na manhã seguinte renovado e livre de negatividade. Recuse a rcarregar arrependimentos antigos e distracções em cada novo dia.

 

2. As desculpas que diz a si mesmo.
Na vida, sempre tem uma de duas coisas, ou tens a capacidade que é necessária para ser capaz de alcançar, ou as razões pelas quais você não alcança.  Preguiça pode parecer atraente, mas a dedicação e o trabalho leva à realização e felicidade a longo prazo. Se realmente quer fazer alguma coisa, vai encontrar uma maneira, senão fizer isso, vai encontrar uma desculpa. Na verdade, quase tudo é possível se tiver bastante tempo e coragem suficiente. O que precisa de lembrar é que não pode sempre esperar o momento e as condições perfeitas, porque pode não haver oportunidade para tal. Na maioria das vezes deve simplesmente se atrever a saltar.

 

3. O que não tem.
Nunca vai ter tempo suficiente, recursos suficientes, ou dinheiro suficiente para fazer o que é perfeito. Mas o que é realmente incrível é que pode conseguir sem “o suficiente” destes supostos requisitos. Mais tarde ou mais cedo, venha a perceber que não é o que está faltando que conta, é o que a iniciativa que tem que faz com o que tem. Ficar chateado com o que não tem é sempre um desperdício do que tem no momento. As pessoas mais felizes e mais bem sucedidas não são as mais sortudas, e eles geralmente não têm o melhor de tudo, eles só aproveitam ao máximo tudo o que vem a caminho. A razão pela qual tantas pessoas desistem é porque eles possuem a tendência de olhar para o que está faltando, e quão longe eles ainda têm de ir, em vez do que está presente, e até onde eles vieram. E não diga que não tem tempo suficiente. Tem exactamente o mesmo número de horas por dia que foram dadas a Ghandi, Florbela Espanca,  Pasteur, Fernando Pessoa, Madre Teresa, Leonardo da Vinci, Thomas Jefferson, Albert Einstein, entre outros.

 

4. Jogar sempre pelo seguro e confortável.
Jogar sempre pelo seguro também é uma das escolhas mais arriscadas que você pode fazer. Ao deixar a sua zona de conforto para trás e dando um salto de fé em algo novo, é que descobre quem é realmente capaz de se tornar. Os obstáculos são colocados no seu caminho para ajudá-lo a determinar se o que quer na vida,  realmente vale a pena lutar. Lembre-se, as pessoas mais fortes são as que sentem dor e desconforto, que sabem aceitá-la, lutar por ela, e aprender com ela. São pessoas que transformam as suas feridas em sabedoria e crescimento.

 

5. O medo do Fracasso.
Se está com muito medo de falhar, não consegue fazer o que precisa ser feito para ser bem sucedido. O seu desejo de sucesso deve suprimir o seu medo do fracasso. Aceitar o que é, deixar ir o que era, e ter fé no que poderia ser. Siga o seu caminho e  pense sempre: “Eu posso ainda não estar lá, mas estou mais perto do que estava ontem!” Inevitavelmente, vai cometer erros e vai sentir alguma dor, mas na vida, os erros fazem de si mais inteligente e a dor torna-te mais forte. Conclusão: Não se preocupe demasiado com os erros, porque algumas das coisas mais bonitas que criamos na vida vêm de mudanças que fazemos depois de fracassos.

 

6. Relacionamentos que lhe retiram a felicidade.
Dê,  mas não se habitue a tal. Nunca perca muito do seu tempo com alguém que não valoriza isso.Um bom relacionamento não deverá arrastá-lo para baixo, mas sim para levantar o ânimo. Ouça as pessoas positivas e ignore as pessoas negativas. As pessoas que duvidem, julgam e desrespeitam não valem o seu tempo e atenção. A vida fica mais fácil quando excluir as pessoas que o tornam difícil. Todos os relacionamentos falhados doem, mas a perda de alguém que não aprecia e respeitá-lo é um ganho e não uma perda. Estar sozinho no longo prazo é muito melhor do que estar com alguém que não aprecia o seu valor e nem faz para ser melhor. Conheça o seu valor. Saiba a diferença entre o que está recebendo e que merece. Chega um momento em que tem que parar de atravessar os oceanos pelas pessoas que não vai mesmo saltar por cima de um poça de água por si.

 

7. Ser recompensado por cada boa acção que faz.
Na maioria das vezes as pessoas que querem mais do que precisam, acabam perdendo tudo por completo. A ganância e o egoísmo não levarão a lugar algum na vida. Os mais felizes, as pessoas mais bem-sucedidas estão procurando maneiras de ajudar os outros. Os infelizes, as pessoas mais mal sucedidas ainda estão perguntando: “O que ganho por fazer isso?”.  Uma vida cheia de actos de amor e bom carácter é a melhor lápide. Aqueles que te inspiraram e partilharam o seu amor e compaixão com a vontade de se lembrar de como as fez sentir, irá perdurar muito tempo depois do seu tempo ter expirado. Grave o seu nome nos corações das pessoas, e não numa pedra fria e inútil.  O que tem feito para si mesmo sozinho morre consigo, o que tem feito para os outros e para o mundo permanece sempre.

 

8. Julgamentos superficiais.
É impossível saber exactamente como uma outra pessoa está sentindo ou que tipo de batalhas emocionais que estão lutando. Às vezes, os mais amplos sorrisos podem esconder os mais finos fios de auto-confiança e esperança. Às vezes, o “rico” tem tudo, menos o que mais interessa, que é a felicidade. É importante perceber isso quando interage com os outros, muito antes de julgar alguém. Cada sorriso ou sinal de força oculta uma luta interior tão complexa e extraordinária como o sua própria luta. É um facto sábio da vida, de verdade, que cada um de nós abrange um conjunto único e profundo de segredos e mistérios que são absolutamente indetectáveis para todos os outros. Então sorria para as pessoas que parecem estar a ter um dia difícil. Seja gentil com eles. A bondade é o único investimento que nunca falha.

 

9 . A sua obsessão com o resultado final.
Satisfação não é uma questão de alcançar um objectivo específico , é uma questão de apreciar conscientemente o processo necessário para atingir esse objectivo. Cumprimento dos fluxos de focar a sua vida em torno de intenções específicas e autenticamente possuídas – ideias e actividades que realmente são o seu propósito. Quando estas intenções são claras, consistentes e significativas , tem meios suficientes para trazer satisfação e alegria para sua vida, se alguma vez atingir plenamente o seu objectivo pretendido ou não. Por outras palavras , é o processo de seguir o seu caminho que é importante, não a velocidade em que progride na direcção dele. Felicidade é encontrada durante a viagem, não no destino. Vá devagar para que possa apreciar a floresta e cada uma das suas árvores. Tem uma melhor chance de realmente ver onde está, quando parar de gastar todo o momento tentando conseguir outro lugar.

Aproveite o tempo para celebrar a bondade em seu redor e ver o caminho que já percorreu até chegar ao presente, ao invés de focar exclusivamente do que ainda resta a ser feito. 

Próximos passos 
Está demasiado agarrado a sua zona de conforto? Julga-se a si mesmo e aos outros de forma injusta ? Deixa alguém sugar constantemente a felicidade fora de si? Sabe que um dos pontos acima se aplica si . Escolha uma área que o afecta em particular  e concentre-se em melhorar essa área todos os dias para os próximos 30 dias.

Tem as ferramentas em si. O conhecimento na sua mente. A energia para o fazer. Concretize. Não fique à espera e siga o seu rumo, a sua vida. Somos seres humanos lindos e temos de fazer para sermos felizes, fazer outros felizes e espalhar a Luz e Bondade.